EMPRESA - Produtos e Serviços

Odontopediatria: Saúde e Higiene Bucal Infantil


Higiene bucal infantil| Odontopediatria | Dentista em Santana Higiene bucal infantil| Odontopediatria | Dentista em Santana Higiene bucal infantil| Odontopediatria | Dentista em Santana Higiene bucal infantil| Odontopediatria | Dentista em Santana Higiene bucal infantil| Odontopediatria | Dentista em Santana

Clique na foto para ampliar



Odontopediatria


Odontopediatria é a Odontologia aplicada as crianças, indivíduos em formação. É uma filosofia de tratamento na qual a prevenção e a educação desempenham um papel de importância fundamental para a saúde e higiene bucal infantil.

O Odontopediatria é o dentista para criança que tem sua formação voltada para a infância, para as devidas fases de desenvolvimento e crescimento da criança, que conhece as peculiaridades da primeira dentição (dentes de leite) e está apto a executar o restabelecimento correto dessas estruturas, a saúde e higiene bucal infantil. A Prática da Odontopediatria.

Atenção odontológica precoce ao bebê


A atenção odontológica precoce já deve estar presente desde a gestação, para que os pais possam criar um ambiente favorável à sua própria saúde bucal e também possam preparar um ambiente semelhante de saúde e higiene bucal infantil para o futuro bebê. O atendimento odontológico ao bebê, o enfoque educativo para a manutenção da saúde. Os pais são orientados quanto à importância da saúde oral e de sua manutenção através da higiene bucal, quanto ao controle de ingestão de açúcar, quanto à importância da amamentação e aplicação precoce do flúor de baixa concentração, antes dos seis meses de vida do bebê, e o uso de medidas educacionais, orientações de hábitos higiênicos, controle do açúcar, aplicação de flúor entre outras medidas, reduzem consideravelmente a incidência de carie dentaria na criança.

Você pratica ou já praticou algum tipo de higiene bucal infantil no seu bebê? Você já recebeu alguma orientação relacionada com os cuidados de higiene bucal em bebês? Você já ouviu falar em bebê - clinica? Você acha que o atendimento odontológico realizado em bebes previne problemas futuros?


Prática de higiene bucal infantil no bebê


A realização da higiene bucal infantil no bebê tem como finalidade a retirada de restos de alimentares e a manutenção da cavidade oral e dos dentes hígidos, muitas mães associam a necessidade de higiene bucal infantil à presença de dentes na cavidade oral. A pratica da higiene bucal infantil em bebês, afirmam que apesar de a cavidade bucal não ser colonizada por bactérias cariogênicas antes da erupção dentaria, é importante que as gengivas sejam massageadas e a cavidade bucal limpa. Nesse período, sugere-se apenas a remoção de restos leite ou de alimentos que ficam estagnados nas comissuras labiais e na cavidade bucal, utilizando dedeiras especiais, gaze ou uma fralda umedecida em água fervida e envolta no dedo indicador da mãe, essa limpeza deve ser feita no Maximo uma vez ao dia de preferência após a ultima mamada.


Quanto a higiene bucal após a erupção dentaria, deve-se mostrar aos pais a importância da escovação e também incentivá-los a higienizar os dentes dos seus filhos após cada refeição com escova dental macia, tão logo os dentes erupcionem.

Educação em saúde com relação aos dados de higiene bucal infantil em bebês


A educação em saúde (orientações) pode ser considerada como essencial à manutenção e prevenção da saúde. Não se pode negar que a educação odontológica da mãe/responsável é fator determinante para a saúde bucal futura da criança, e que a família serve como modelo, assim como auxilia a criança a cuidar de seus dentes, há necessidade de que um profissional da saúde que atuam com mães e crianças passam a ver a cavidade bucal como parte integrante do individuo como um todo, merecendo atenção necessária, objetivando que a criança receba também os benefícios dos cuidados odontológicos precoce, a participação do pediatra na manutenção da saúde bucal da criança é muito importante, pois ele pode através de orientações a mãe, minimizar muitos problemas futuros, considerando que a grande maioria das crianças brasileiras não tem acesso ao dentista em idade precoce. Para as mães os bebês necessitam de atenção medica e não especialmente de atenção odontológica, já que é comum, em nossa sociedade, o habito de levar a criança ao dentista depois da erupção dos dentes.

Atenção odontológica precoce ao bebê


O tratamento odontológico precoce as crianças menores de três anos já provou a sua eficácia. A falta de informação ainda faz com que as pessoas pensem que o tratamento odontológico para criança só começa com a erupção do primeiro dente, e mesmo assim muitos acreditam que a doença carie na dentição decídua não se constitui em problemas, a prevalência da carie encontra-se abaixo dos 10% nos doze primeiros meses de vida e, à medida que aumenta a idade, cresce a prevalência desta enfermidade na população, e a avaliação bucal da criança a partir dos seis meses de vida não somente previne as caries e maus hábitos alimentares, mas pode também evitar deformidades ósseas na face, problemas aclusais e ortodônticos.

Para as mães, o atendimento precoce aos bebês previne não somente as caries e doenças bucais, mas também doenças em gerais.

A criança, em constantes modificações física e psicossociais, cabe ao profissional de saúde atuar em nível de prevenção seja no atendimento integral da saúde, como na educação odontológica da mãe ou da própria criança, conscientizando-as da necessidade de cuidados constantes com a cavidade bucal/dentes, fazendo com isso resulte na manutenção de um estado de suade bucal satisfatório no futuro.

Considerações Finais


A cárie dentaria compromete a saúde e a qualidade de vida da criança, muitas mães associam à necessidade de higiene bucal à presença de dentes, as mães percebem a necessidade desse tipo de orientação, de ações praticas voltadas a educação em saúde a odontologia.

ODONTOPEDIATRIA: informações e dúvidas, sobre a dentição de leite.

l- Quando nascem os dentes de leite?

Apartir do 6° mês, porem pode haver antecipação para 3° e 4° mês. A dentição de leite completa é pôr volta de 2 anos há 2 anos e meio.

2- O bebé sente dor quando nascem os seus dentes?

É algo natural, sem dor e sem sangramento.

Alguns sintomas podem ser observados: aumento da salivação, diarreia, sucção dos dedos, febre " baixa e passageira", irritação local, todos estes sintomas não requerem medicação.

3- Os mordedores ajudam na erupção dos dentes?
Não, existem mordedores com gel no seu interior, que devem ser mantidos em geladeira, pois estes aliviam a irritação da gengiva, causada pela pressão dos dentes em erupção.

4- É necessário escovar os dentinhos do bebé?

Sim, mesmo antes do aparecimento dos dentes. Deve-se usar uma dedeira ou gaze embebida em água filtrada esfregada delicadamente na gengiva. Após a erupção dos dentinhos usar escova com cerdas reduzidas e macias, somente molhadas, isso quando ainda for poucos dentinhos e quando passar de 4 dentes usar creme dental (a quantidade de um grão de alpiste), pois 70% do creme dental eles engolem, como contém flúor e o excesso ingerido provoca fluorose, alterando a cor dos dentes. Ou creme dental especial natural (importado).

E se o bebé não deixa escovar os dentes


A mãe tem que ter paciência transformar a escovação em uma brincadeira divertida, usar escovas coloridas e atraentes, cantar musiquinhas... O interessante é o bebé ver a mãe escovando seus próprios dentes, sempre.

6- Que tipo de mamadeira usar para os bebés que não podem ser amamentados no peito?

Mamadeiras com bicos especiais semelhantes ao seio materno. Furinho o menor possível para forçar o bebé a sugar, estes garantem o bom posicionamento da língua e estimula a musculatura e o crescimento da mandíbula. Posição de alimentação sempre inclinado e nunca completamente deitado.

7- A mamadeira e a chupeta podem alterar o posicionamento dos dentinhos do bebé?

Sim, sempre hábitos prolongados prejudica o posicionamento da língua e a musculatura bucal. Planejar de eliminar o mais rápido possível até no máximo 3 anos

Antibióticos prejudicam a dentição


Depende, todo e qualquer medicamento não pode haver excessos e devem estar sob orientação médica /e ou odontológica.

9- Os bebés podem ter cáries?

Sim, se o mesmo for amamentado ou alimentado com mamadeiras de leite, chá e outros líquidos com açúcar ou mel e durante o sono, à noite, pode provocar a cárie de mamadeiras ou aparecimento precoce da cárie. Se não houver higienização nesse período. E esse tipo de cárie acomete os dentes rapidamente, pois durante o sono, o fluxo salivar diminui. Os primeiros sinais da cárie de mamadeira constituem em manchas brancas e opacas que muitas vezes serão desapercebidas pelos pais.

10- Quando deve ser a consulta do bebé ao Odontopediatra?

Antes mesmo do aparecimento dos primeiros dentes, deve ser uma consulta agradável, em ambiente amistoso, isso ajudará o estabelecimento de um vínculo afetivo com o odontopediatra. O importante é já orientar os pais de um programa de educação e medidas preventivas (orientação, escovação, flúor e selante) que evitam o aparecimento da cárie e da doença gengival.

O INSTITUTO DE ODONTOLOGIA FANTIN, pode estar levando para demonstração:

• mordedor com gel interno.
• Dedeiras.
• Gaze.
• Escovas de cerdas macias e pequenas.
• Creme dental para engolir.
• Mamadeira com bico especial.
• Chupetas com bico especial.
• Cd com músicas de dentinhos.
• Livros de histórias de dentinhos.

II - PROGRAMA MATERNO - INFANTIL


l - O que é a cárie dentária?

É uma doença infecto-contagiosa causada pôr alguns fatores juntos: 1- indivíduo susceptível 2- dieta cariogênica Ações preventivas: A gestante durante os três primeiros meses de gestação e depois de 3 em 3 meses realizará o tratamento anti-microbiano (contra cárie e doença gengival), verniz flúor, tratamento restaurador, adequada higiene dental e orientação sobre a dieta alimentar. Neste período é que inicia o desenvolvimento do paladar do bebé na barriga da mãe, por isso ter atenção especial com a dieta alimentar da gestante. Então o programa preventivo da gestante, melhora as condições bucais do futuro bebé diminuindo o risco de transmissão e colonização da bactéria da cárie para o bebé, é a melhor prevenção, a mais precoce. Ações educativas: deve-se englobar a orientação para os pais, sobre cuidados com o bebé, com atividades continuadas pós-parto. Os bebês devem ir ao odontopediatra, de 3 em 3 meses, (para realizarem limpeza profissional, aplicação de flúor e selantes). "Janela da infectividade" É o período denominado da maior susceptibilidade da criança adquirir a bactéria da cárie de l ano e meio à 2 anos e meio. A transmissibilidade é um fator de risco, é de acordo com os hábitos, os costumes e o grau de contaminação cariogênica da família. Isso definirá se o risco se o risco será maior ou menor.

III - FUNÇÕES BUCAIS
• Respiração.
• Sucção.
• Deglutição

A face se desenvolve, pôr estímulos musculares, pela respiração e mastigação. Tipos de respiração: define a postura da face, língua e lábios.

Respiração bucal: é uma forma errada causa diminuição da capacidade respiratória e desenvolvimento da face, deve-se observar a presença de renite alérgica, adenóides, bronquite e encaminhar para o especialista Otorrinolaringologista. Estas podem levar ao desenvolvimento do céu da boca em forma de "Teto de Igreja", resultando em uma mordida contrária ( cruzada ), onde a arcada superior encaixa-se por dentro da inferior, sendo que o correto é ao contrário. Sucção: Ponto positivo para o bebé, forma de nutrição e satisfação psicológica. Ponto negativo para o bebé, é a sucção sem fins nutritivos que pode causar um hábito indesejável.

Deglutição: aleitamento natural, mais natural e desejável método de alimentação infantil.

• Bom desenvolvimento
• Correta mastigação no futuro
• imunologia (anticorpos)
• Ajuda nos aspectos gerais: físicos, psicológicos e fisiológicos do bebé.

Até quando amamentar? Entre 8 a 9 meses. Posição ideal da amamentação? A criança deve ficar de frente para o corpo da mãe, de modo que a barriga do bebé fique em contato com ela.

Mau Hálito


Todas as pessoas têm mau hálito?
Se considerássemos o hálito desagradável ao acordar, praticamente 100% da população seria portadora de halitose. Por isso, o mau hálito da manhã é considerado fisiológico. Ele acontece devido à leve hipoglicemia, à redução do fluxo salivar para virtualmente zero durante o sono e ao aumento da flora bacteriana anaeróbia proteolítica. Quando esses microrganismos atuam sobre restos epiteliais descamados da mucosa bucal e sobre proteínas da própria saliva, geram componentes de cheiro desagradável (metilmercaptana, dimetilsulfeto e principalmente sulfidreto, que tem cheiro de ovo podre). São os compostos sulfurados voláteis, conhecidos abreviamente por CSV. Após a higiene dos dentes (com fio dental e escova), da língua (com limpador de lingual) e após a primeira refeição (café da manhã), a halitose matinal deve desaparecer. Caso isso não aconteça, podemos considerar que o indivíduo tem mau hálito e que este precisa ser investigado e tratado.
É possível que eu tenha mau hálito e não saiba disso?
Sim. As pessoas que têm um mau hálito constante, por fadiga olfatória, não percebem seu próprio hálito. Somente as pessoas que têm períodos de halitose e períodos de normalidade conseguem percebê-los.
Como eu posso saber se tenho ou não mau hálito?
A maneira mais simples de identifica-lo é pedir a um familiar ou a um amigo de confiança que faça essa avaliação para você. Caso você identifique o problema ou caso você se sinta constrangido a pedir a alguém que o avalie, pode procurar um dentista para que este possa ajuda-lo no diagnóstico e no tratamento de halitose. Atualmente, e cada vez mais, existem dentistas interessados no assunto, e que pode diagnosticar e tratar o problema.
Qual a causa do mau hálito?
É muito bom que se diga que os casos de halitose não podem ser explicados por um único mecanismo. Existem casos de halitose tanto por razões fisiológicas (que requerem apenas orientação) como por razões locais (feridas cirúrgicas, cárie, doença periodontal, gengivite e etc.). Por isso, pode-se concluir que todas as possíveis causas devem ser investigadas e que o tratamento será direcionado de acordo com a causa de halitose se devem à presença de saburra lingual e, assim, devem ser tratados.
O que é saburra?
Saburra é um material viscoso e esbranquiçado ou amarelo, que adere ao dorso da língua em maior proporção na região do terço posterior. A saburra equivale a uma placa bacteriana lingual, em que os principais microrganismos presentes são do tipo anaeróbico proteolíticos, os quais, conforme foi explicado para halitose da manhã, produzem componentes de cheiro desagradável no final de seu metabolismo.
Se a saburra é formada por microrganismos, o mau hálito é contagioso?
Não. A saburra somente se forma em pessoas com predisposição à sua formação. Por isso, é muito comum observarmos casais em que apenas um dos parceiros apresenta hálito muito desagradável, a ponto de incomodar o outro.
O que predispõe à formação de saburra?
A causa primária da formação de saburra é a leve redução do fluxo salivar, com a presença de uma saliva muito mais rica em mucina ("gosmenta") e que facilita a aderência de microrganismos e de restos epiteliais e alimentares sobre o dorso da língua. É bom que se diga que existem vários graus de redução do fluxo saliva; quando a redução é severa (de 0 a 0,3 ml/minuto, sob estímulo mecânico), já não encontramos saburra, mas sim, outros tipos de desconforto. Também é importante a avaliação das causas da redução do fluxo salivar para que se possa decidir sobre o tratamento. Uma causa bastante comum é o "stress" constante.

© Clínica Odontológica Fantin - Todos os direitos reservados - site by OESP
Rua Amaral Gama, 333 - 2º andar Cj 22 - Santana - SP
Tel.: (11) 2283-0006 / Cel: 7809-5967 / ID 55*7*44073 | Email: suelifantin@hotmail.com